• Pela primeira vez na história de 25 anos dos Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba uma chapa de oposição, esta ligada ao PC do B, vence e vai comandar a entidade entre 2015 e 2017

    Enviado em: 31/10/2014 19:03h - Por: Deda



    Seis mil funcionários públicos da Prefeitura de Sorocaba, Saae, Urbes e Câmara de Vereadores tinham direito a voto na eleição para a escolha da nova diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba, mas apenas 1993 foram às urnas. Desse total, 900 (o equivalente a 45,16% das manifestações válidas) votaram na Chapa 2, intitulada "A Serviço do Servidor - Alternativa Avançada", e deram a vitória ao professor Salatiel dos Santos Hergesel que vai comandar a entidade de janeiro de 2015 a dezembro de 2017. 
    A eleição muda a história de 25 anos do Sindicato dos Servidores de Sorocaba, afinal é a primeira vez que um pós-graduado vai presidir a entidade e, também, a primeira vez que um presidente da entidade tem filiação partidária. Salatiel dos Santos Hergesel é integrante ativo do PC do B de Sorocaba e esteve a frente das manifestações do último dia 15 de outubro, Dia do Professor, que surpreenderam o prefeito Pannunzio e o secretário de Educação, José Simões, com a reunião de centenas de professores nas rampas de acesso ao Palácio dos Tropeiros, sede do governo sorocabano. Além do PC do B e da Apeoesp, Salatiel também faz parte do Grupo "Quinze de Outubro" que "reúne educadores para lutar por uma educação que ajude a resolver os problemas básicos do povo brasileiro".
    Salatiel dos Santos Hergesel possui graduação em Biologia pelo Ceunsp (2000) da cidade de Itu e graduação em Ciências pela Uniso - Universidade de Sorocaba (1990). Tem experiência na área de Biologia Geral, com ênfase em Biologia Geral. Salatiel também possui mestrado (título de Mestre que antecede ao de Doutor) em Educação pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) na área de Ensino, Avaliação e Formação de Professores. O título de sua dissertação do 2005 foi "A participação do sindicato dos professores do ensino oficial do estado de São Paulo (Apeoesp) na formação politico-pedagógica do professor".
    A alta abstenção na votação é apontada como a causa do sucesso de Salatiel na eleição de quinta-feira (30/10/14) e essa abstenção é explicada pelo fato de hoje (31/10) estar sendo cumprido o feriado pelo Dia do Servidor comemorado originalmente em 27 de outubro. Ocorre que neste ano o feriado da categoria foi na segunda-feira passada, ou seja, dia de pós-eleição presidencial. O prefeito Pannunzio, para evitar que os funcionários faltassem na votação de domingo afinal iriam emendar com o feriado de segunda, por decreto, mudou o gozo dessa folga para hoje. Ao que parece o tiro saiu pela culatra, afinal conseguiu o objetivo de manter em Sorocaba o servidor público para a eleição presidencial, mas tirou ele da cidade para a eleição no sindicato.
    O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba foi criado no dia 20 de fevereiro de 1989. Ele é fruto da Constitutição de 1988 que permitiu que a Associação dos Servidores (que existia desde 1980) virasse sindicato. A principal mudança é que as negociações salariais, entre outras, entre Prefeitura e Servidores passou a ser feita pelos representantes dos servidores eleitos para presidir o sindicato. Quando era associação, Antônio Silva foi o presidente. Quando sindicato Marcos Antônio Figueiredo Bistão assumiu por dois mandatos. Depois veio Nelson Wilson. Depois Arlindo Rafael Monteiro. Depois Luís Fábio dos Santos. Na seqüência chegou a recordista de mandato (foram quatro no total), Maria Winnifred Lee Ay Sie, conhecida como Winni, nascida em Jacarta na Indonésia, que chegou no Brasil em 1967 e desde 78 era funcionária pública. Depois dela entrou Serginho Ponciano de Oliveira que comandava o sindicato desde 2005.
    Todos esses presidentes tiveram uma atuação mais de chão de fábrica como se diz na gíria. É a primeira vez que um presidente de nível escolar mais elevado chega a frente do sindicato. Todos os presidentes tiveram uma relação de proximidade com todos os prefeitos e acredita-se que com um integrante do PC do B, que em nível estadual e federal é aliado do PT, e na eleição municipal passada estava na chapa do concorrente do PMDB, o prefeito Pannunzio será o primeiro a enfrentar problemas nas negociações com os servidores. Historicamente o que se viu foi o sindicato pedindo aumento real de salário para o prefeito e depois de algumas negociações aceitarem o índice de inflação muitas vezes paga de forma escalonada. Acredito de que será diferente, mesmo que as razões para endurecer sejam políticas e partidárias e não práticas e de conquistas dos servidores.
    Além dos 900 votos, o equivalente a 45,16% das manifestações válidas, da Chapa 2, as eleições para a escolha da nova diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba tiveram a Chapa 3, "Servidor, a Voz do Sindicato", representada pela professora Vânia Érica Rodrigues, com 590 manifestações (29,61%) e a Chapa 1, "União e Fortalecimento", que há dez anos comandava a entidade com Serginho Ponciano, obteve 483 votos (24,25% do total). Vale lembrar que Vânia Érica é filha do ex-vereador Antônio Rodrigues, conhecido por Mixirica (PSDB), aliás um recordista de votos na sua época.

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Toyota oficializa a prefeito de Sorocaba novas ações do carro feito na cidade

    Enviado em: 31/10/2014 19:01h - Por: Deda



    A Toyota anunciou no Salão do Automóvel que acontece em São Paulo, na terça-feira passada, que fará a exportação do Etios, fabricado em Sorocaba, para o Uruguai e o Paraguai. A montadora já vende o modelo na Argentina desde o ano passado. Mas oficialmente, em deferência ao prefeito de Sorocaba, Antônio Carlos Pannunzio, a Toyota fez um evento em sua montadora de Sorocaba hoje, que começou as 11h e terminou somente as 16h, para explicar o que a Toyota fez na cidade desde sua inauguração e o planejamento de crescimento.
    Desde julho de 2013, a Prefeitura de Sorocaba recebeu em comodato da Toyota do Brasil um automóvel do modelo Prius, veículo hibrido movido simultaneamente a gasolina e energia. É o carro oficial do prefeito para eventos em Sorocaba, mas quando ele viaja a São Paulo viaja com o Corolla comprado na administração passada movido a etanol ou gasolina.

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Contrato do BRT sorocabano deve ser assinado em abril de 2015. Estimativa é dada para o prefeito por equipe que trabalha na PPP do projeto

    Enviado em: 30/10/2014 17:54h - Por: Deda



    Um ouvinte gravou uma mensagem que foi ao ar durante a entrevista que Renato Amary, presidente do diretório municipal do PMDB, concedeu na coluna "O Deda Questão" na rádio Ipanema (FM 91,1Mhz), na quarta-feira passada. Ele queria saber a opinião de Renato sobre a dúvida que ele colocou: "O que fica pronto primeiro, o Aerotrem do Levy Fidelix ou o BRT do Pannunzio?" Renato elegantemente não entrou na provocação do ouvinte. Mas, coincidência ou não, o próprio prefeito Pannunzio está incomodado com o tema que lhe diz respeito, obivamente. Há dez dias ele chegou a ter um entrevero com Edsom Ortega, consultor da prefeitura na questão da PPP (Parceria Público Privada) do BRT (sistema para a circulação de ônibus). Ortega é tido como muito detalhista e esse comportamento estaria deixando em aberto o fechamento dessa PPP. Nesta semana, para tranquilizar o prefeito, foi dada uma data para ele: se nada fora do previsível acontecer, o contrato do BRT sorocabano deve ser assinado em abril de 2015.

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Metalúrgicos de Sorocaba e região conquistam 2% de aumento real (percentual acima da inflação) e 67% da categoria fecha acordo

    Enviado em: 30/10/2014 17:52h - Por: Deda



    Dos 45 mil trabalhadores da categoria dos metalúrgicos de Sorocaba e região, 30 mil deles, em 210 fábricas, firmaram um acordo salarial com as empresas que prevê reajuste de 8,48%, retroativos a 1º de setembro, sendo que dentro deste percentual estão 6,35% referentes à inflação (INPC/IBGE) dos últimos 12 meses e mais 2% de aumento real nos salários.
    O Sindicato dos Metalúrgicos continua negociado o reajuste salarial, esta semana, com dezenas de outras fábricas: "Acreditamos que nos próximos dias poderemos colocar propostas de reajuste em votação por assembleias de trabalhadores em várias fábricas. Mas os próprios trabalhadores precisam contribuir com o andamento das negociações, mantendo-se mobilizados", afirma o presidente do Sindicato, Ademilson Terto da Silva.
    Segundo ele, a direção do sindicato "não vai descansar enquanto o aumento real de salários não estiver garantido para 100% dos metalúrgicos da região", avisa o dirigente. O percentual atingido até as negociações de hoje equivalem a 67%.
    Na foto aparecem trabalhadores da Hurth-Infer, de Sorocaba, comemoram o acordo. Foto: Foguinho/SMetal

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Aliado do PMDB em 2012, PC do B rechaça manifestação de presidente local do partido: Lealdade se ganha dando exemplo

    Enviado em: 30/10/2014 17:51h - Por: Deda



    Renan dos Santos, presidente do diretório municipal do PC do B, usou  Facebook para comentar a entrevista que Renato Amary, presidente do diretório municipal do PMDB, concedeu na coluna "O Deda Questão" na rádio Ipanema (FM 91,1Mhz), na quarta-feira passada. Ele rechaça a manifestação de Amary de que não votou e muito menos pediu votos para Dilma na eleição presidencial: "Escutei atentamente a entrevista do ex-prefeito e atual presidente do PMDB local Renato Amary, hoje, na rádio Ipanema. Achei péssimo o posicionamento e seus argumentos para não ter apoiado a chapa Dilma/Michel Temer (PMDB). Não foi à toa que os vereadores eleitos pela sua coligação, em 2012, inclusive dois deles são seus correligionários, na primeira oportunidade, apoiaram e votaram num vereador tucano para presidente da Câmara Municipal. Lealdade se ganha dando exemplo".

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Presidente do diretório municipal do PC do B contesta teor grosseiro de minha postagem

    Enviado em: 30/10/2014 17:50h - Por: Deda



    Renan dos Santos, presidente do diretório municipal do PC do B, contesta minha opinião (leia postagem anterior) sobre a articulação de uma verba para a construção de um sonhado Centro Olimpico em Sorocaba. Trocamos abaixo o seguinte diálogo. Deixo com o leitor a significação desse tema.

    Renan - "Pô Deda, de novo publica sem consultar a outra parte? rs... E asneira pegou pesado. No mínimo antes de publicar tinha que ter me ouvido. É de praxe do bom jornalismo. Enfim! Espero que  corrija o termo e o seu mal entendido".
    Eu - "Olá Renan. Posso corrigir o que desejar.  Só peço que me diga por escrito o que aconteceu. Peço que comece pela msg que vc mandou ao Kiko. Só posso ver erro na origem. Ou seja, se o Renato fosse prefeito teria 50 milhões. Como não foi, não tem? Aguardo seu texto".

    Renan - "Deda, é simples. Eu articulei dois encontros (um em Brasília e outro em Sorocaba durante a campanha de 2012) do Renato Amary com o ministro Aldo Rebelo (PC do B) e que um dos pedidos do então candidato a prefeito Amary, teria sido ajudar a fazer o Centro Olímpico de Sorocaba, que tinha uma estimativa de gasto em R$ 50 milhões. O ministro prontamente disse que o ministério estava à disposição para ajudar neste projeto. E, que por conta dos grandes eventos esportivos no Brasil; copa e olimpíadas, o ministério estava priorizando este tipo de iniciativa. Ou seja; fruto de articulação política com o governo federal, conseguimos apoio do ministro para a construção do centro olímpico de Sorocaba. Coisa que a Prefeitura Municipal de Sorocaba pouco faz por conta das diferenças nas bandeiras partidárias entre o governo municipal e o governo federal. Acontece que o governo municipal acabou reduzindo o projeto original em uma arena multiuso que hoje se encontra abandonada, fruto da queda da cobertura. Simples assim. Quando você não entender algo que não ficou claro, sugiro ligar, mandar e-mail ou mensagem para entender a outra parte e não sair publicando grosserias como fulano disse asneira, pois isso não condiz com o seu profissionalismo e o renome que você conquistou em vários anos de trabalho na imprensa sorocabana. Um abraço, Renan."
    Eu - "Combinado. Abraços"

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Há uma semana perguntei onde estava Renato Amary. Hoje ele apareceu e deu entrevista. Disse que não votou em Dilma e que mantém-se no PMDB e aliado de Michel Temer. Falou também sobre candidaturas, situação jurídica, desenvolvimento de Sorocaba na região dos empreendimentos da sua empresa. Uma entrevista franca e polêmica

    Enviado em: 29/10/2014 14:44h - Por: Deda



    Noticiei aqui há uma semana que Renato Amary deu o cano no vice-presidente da República, Michel Temer, que esteve em Sorocaba e por cinco vezes telefonou a Renato sem obter sucesso de um retorno. Disse mais: que Oswaldinho Duarte estava articulando a sua cassação do PMDB do qual é presidente do diretório municipal. Hoje, na coluna "O Deda Questão", no Jornal da Ipanema (FM 91,1MHz), Renato respondeu a essas e outras questões.
    1) Não sai do PMDB. "Estou firme, PMDB é o meu partido", declarou e desmentiu o rumor de que iria ocupar cargo de secretário no governo de Geraldo Alckmin (PSDB) se transferindo para o PTB e ocupando a pasta de Esportes: "Isso é bobagem. Não vou para lugar nenhum. Se eu tiver que ir para algum lugar é para a candidatura a prefeito e não mais do que isso. Vou analisar com meu grupo, meu time, se vai valer a pena", enfatizou.
    2) Sem apoio a Dilma. "Não votei na Dilma e não a apoiei", explicou. Mas e o vice presidente da República Michel Temer? "Ele é uma pessoa extremamente política. Sabe muito bem o caminho que traça", afirmou. Renato explicou que a forma improvisada com que Temer veio a Sorocaba não agrega o partido e nem votos a Dilma. 
    3) Sobre o por quê de não se candidatar a deputado federal, ele afirmou: "Não era a minha hora. Eu tinha que dar um tempo, estruturar a minha vida e definir se saio ou não candidato a prefeito. Esta eleição foi uma eleição diferente", concluiu. Questionado se não concorreu por medo de bater de frente com Lippi, ele foi enfático: "Não tenho medo de nada. Quando sai candidato pela primeira vez fiquei em quarto lugar. É bobagem falar isso". Questionado se temia ter impugnada sua candidatura por causa de processos, ele também foi claro: "Está tudo em ordem. Sou ficha limpa. Tenho processos, mas quem não tem? Todos que ocupam o cargo de prefeito acabam sendo processados, mas nunca causei dolo ao erário público e muito menos obtive alguma enriquecimento pessoal ou ilícito."
    4) Desenvolvimento em sua áreas. Um ouvinte questionou porque ele, quando prefeito, desenvolveu Sorocaba para o lado onde sua empresa de empreendimento imobiliário possui grandes áreas. "Eu levei para a cidade toda. A oposição massacra nesta tecla para me desgastar. Não existe isso", explicou.
    5) Kiko Pagliato pediu uma nota dele e um conselho para o governo Pannunzio: "Não vou dar nota. Esse papel é do povo. Posso dizer que Pannunzio é correto, legalista, e está consertando o que seu antecessor deixou para ele e buscando colocar seus projetos de governo para andar". Com a insistência de Kiko, ele deu um conselho: "seja mais rápido".
    Imagem de Diego Gama/Ipanema Online

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
    Enviado por: Edgard F. Rosas 30/10/2014 (13:45h)
    Esse nega até a mãe,nunca diria que votou em Dilma pois sabe que aqui ela não da voto.Não atrelaria sua imagem a quem poderia queima-lo politicamente.Se diz grande amigo de Michel Temer mas o deixou na mão pra não perder eleitores, muiii amigo.
  • Presidente do diretório do PC do B fala asneira. Bom, assim espero, pois se for verdade ele revela o que há de pior na prática política

    Enviado em: 29/10/2014 14:42h - Por: Deda



    O final da entrevista de Renato Amary hoje na coluna "O Deda Questão", no Jornal da Ipanema (FM 91,1MHz), foi sobre a falta de um Centro Olímpico em Sorocaba. Ele disse que como deputado federal conseguiu verba de R$ 2 milhões para o projeto que o prefeito de então (Vitor Lippi) nunca quis. Enfim, ele defendia o seu ponto de vista sobre a importância de um empreendimento dessa magnitude para Sorocaba quando Kiko Pagliato recebeu mensagem de Renan dos Santos, presidente do diretório municipal do PC do B, informando que ele havia conseguido verba de R$ 50 milhões com o ministro dos Esportes, Aldo Rebello, que é do seu partido. Ai no ar questionei porque a verba não veio. E na mensagem para o Kiko Renan respondeu que foi porque Renato perdeu a eleição. Ai perdi um pouco as estribeiras no ar: como assim? O governo federal só dá verba para prefeito de partido aliado? Sinceramente espero que Renan na ânsia de aparecer tenha se equivocado e dito asneira, pois se for verdade que Sorocaba perdeu uma verba de R$ 50 milhões apenas porque o vencedor do pleito de 2012 ser do PSDB (um partido de oposição ao PT que é coligado ao PC do B) isso revela a pior prática política que possa existir. Sinceramente sou da opinião que Renan disse besteira.

    Na foto estão o prefeito Pannunzio e o ministro Rebello na sede de campo do Clube Atlético Sorocaba que recebeu a seleção da Argélia durante a Copa do Mundo.

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Vitor Lippi usa Facebook para me responder: resultado da eleição não muda meu compromisso com Sorocaba e região. Vou fazer o meu melhor em Brasília

    Enviado em: 29/10/2014 14:40h - Por: Deda



    Menos de uma hora depois de ter postado minha opinião sobre qual será o comportamento de Vitor Lippi, recém-eleito deputado federal, com a derrota de Aécio (leia postagem anteerior), começaram a me chegar comentários de que ele havia me respondido no Facebook dele. É normal que exista reação quando somos citados. Eu o citei e ele reagiu.
    A princípio ele me chamou de "fofoqueiro". Achei a resposta de uma agressividade desnecessária e longe do perfil de Vitor Lippi. Por volta das 20h tive essa confirmação ao conversar com João Paulo Miranda (conhecido por JP), assessor de Lippi, que me disse que conversou com o Vitor e ele nunca tinha dito aquilo para sua assessoria. Uma hora mais tarde, Tiago Cordeiro, assessor de comunicação de Lippi, me ligou e disse que foi ele quem teve a iniciativa de me chamar de fofoqueiro e não Lippi. 
    De tudo isso o que mais gostei foi saber que a partir de hoje, por decisão de Lippi, tudo o que for postado em seu nome terá previamente a sua aprovação. 

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • A derrota de Aécio e as consequências para Sorocaba - parte 1: Com a derrota de Aécio, Lippi é candidato a prefeito de Sorocaba em 2016. Mesmo que tenha de sair do PSDB para isso

    Enviado em: 28/10/2014 17:13h - Por: Deda



    Esta pergunta me foi feita pela jornalista Rosana Pires, durante o Jornal da Ipanema Especial de Eleições, domingo de manhã: Qual a consequência da vitória ou derrota de Áecio para Sorocaba. Minha resposta teve esse raciocínio: Caso Aécio vença, Vitor Lippi, recém-eleito deputado federal, ficará os quatro anos de mandato em Brasília e terá algum espaço para fazer com que seus projetos (ele quer apresentar como projeto-de-lei ações que fez como prefeito) caminhem. Caso perca, entendo que na oposição, levado a insignificância de ser oposição no chamado Baixo Clero do Congresso, onde apenas os líderes aparecem e decidem, Lippi não terá paciência de ser apenas mais um entre os 500 e tantos deputados. E ai, sua luta será para em 2016 ser o candidato a prefeito.
    Ocorre que o prefeito Pannunzio tem a opção de ir para a reeleição e já disse que se não for ele o candidato do PSDB em 2016 será um novo nome que pode ser do seu secretariado ou mesmo alguma liderança da cidade que nem filiação partidária tenha. Nesse cenário restará a Lippi deixar o PSDB, ir a outro partido e correr o risco de perder o mandato de deputado por infidelidade partidária. Poucos acreditam que ele correrá esse risco. Nem Lippi, e nem ninguém, sabe o que será decidido daqui dois anos, mas pelo que conheço de Lippi e pelo que ele demonstra, sua vontade é para o Executivo, é o de voltar à Prefeitura. Nem mesmo o exemplo de Renato Amary (que deixou o PSDB quando Lippi ficou com a preferência do partido para ir à reeleição em 2008) pode desviar o foco de Lippi. Minha opinião é clara: com a derrota de Aécio, Lippi é candidato a prefeito de Sorocaba em 2016. Mesmo que tenha de sair do PSDB para isso.

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários

    Fotos da semana

    Busca no blog

  • Pesquisar